Resenha: Esquadrão Classe A

A sensação que tive ao sentar no escurinho do cinema para ver a versão do século XXI do antigo seriado que passava no SBT (acho que se chamava TVS ainda) foi a de voltar aos bons tempos em que você ia ao cinema nos anos 80 pagando pouco e assistia aos filmes que moldaram o meu caráter. Uma saudosa nostalgia regada a adrenalina.

The A Team, dirigido por Joe Carnahan trás de volta os personagens da série homónima de tv criada por Stephen J. Cannell e Frank Lupo, em 1983. Nela temos um grupo militar especializado em missões suicidas e perigosas, todas executadas com estrema precisão graças ao talento estrategista de Coronel John ‘Hannibal’ Smith (Liam Neeson), líder do grupo. Auxiliado pelo safado e boa pinta Tenente Templeton ‘Faceman’ Peck (Bradley Cooper), o marrento e casca-grossa B.A. Baracus (Quinton ‘Rampage’ Jackson) e pelo louco e divertido Murdock (Sharlto Copley), o Esquadrão acaba sendo incriminado por um crime que não cometeram e são obrigados a usar toda a sua astúcia para se livrar das acusações e conquistarem sua honra de volta.

O divertido do filme é ver antigos personagens de volta em novas roupagens. O destaque, é claro, vai para Sharlito Copley que viveu o indefectível Murdock. É dele e do traumatizado B.A. as melhores cenas. A graça em produzir um filme assim está no carisma dos personagens e nisso o filme conquistou nota 10!

Mesmo com a presença de Jessica Biel para fazer o pepel dela de gostosa do filme e não contribuir em nada pela trama, o restante do elenco segura a onda. A violência que poderia ter nesse tipo de tema é atenuada e quase não vemos sangue, apesar da quantidade de mortos.

Um ponto negativo pode ser dado a direção. A insistência do diretor Joe Carnahan de usar enquadramentos tão próximos tira um pouco o entendimento do que está acontecendo em determinadas cenas e a música que lembra muito Dark Knight em determinadas cenas de tensão.

As cenas malucas, as explosões, as viradas de trama e a “cenas mentirosas”, usando um jargão bem nordestino, não tiram a diversão do filme. Pelo contrário. Fazem a gente desejar mais e torcer para que essa nova franquia dê dinheiro e um segundo The A Team apareça. Ou alguém pague o suficiente para contratar o esquadrão…

Trailer:

Sobre Silvio César
Publicitário e estudioso dos rumos da comunicação no mundo.

One Response to Resenha: Esquadrão Classe A

  1. Pedro Jorge disse:

    Queria que filme 3D fosse igual a “Fugindo do Inferno (The Great Escape)”. Seria alucinante. \o/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: