Comentários: A Saga Crepúsculo: Eclipse

Com licença, com licença…

Bem, eu não sou nenhuma grande crítica da sétima arte, mas o Cena do Crime precisava de um toque feminino para falar do terceiro filme da Saga Crepúsculo. Ninguém aqui comentou nada a respeito de Eclipse, absurdo!

The Twilight Saga: Eclipse, 2010, Eua.

Direção: David Slade.
Com: Kristen Stewart, Robert Pattinson, Taylor Lautner, Bryce Dallas Howard, Dakota Fanning, Anna Kendrick.

Duração: 130 min.

No terceiro capítulo da saga de sucesso de Stephenie Meyer, Bella Swan (Kristen Stewart) mais uma vez encontra-se cercada por perigo enquanto Seattle é assombrada por uma série de mortes misteriosas e uma vampira maliciosa continua sua empreitada por vingança. Em meio aos acontecimentos, Bella é forçada a escolher entre seu amor por Edward Cullen (Robert Pattinson) e sua amizade com Jacob Black (Taylor Lautner), consciente de que sua decisão tem potencial para dar início a uma guerra entre vampiros e lobisomens. Mas há ainda uma outra escolha importante: com sua formatura se aproximando, ela terá de decidir se abraça ou não a imortalidade.

Se você ainda não assistiu ou não sabe da história completa, o texto abaixo possui spoilers. Mas, cá entre nós, se você está lendo isto tem grande chance de já conhecer a trama inteira!

Em Eclipse, temos a continuação da busca por vingança da vampira Victoria, e acreditem, foi justamente essa personagem que teve a atriz trocada! A Summit Entertainment já havia anunciado no ano passado a saída da atriz Rachelle Lefevre alegando conflitos em sua agenda. Ficou então a cargo de Bryce Dallas Howard (Kate Connor em Terminator: Salvation) assumir o papel de forma satisfatória. Só digo uma coisa: ô vampira pra correr! Ela protagoniza as cenas mais velozes do filme.

Pois bem, Victoria continua atrás de se vingar de Bella, e para não assustar sua presa e seus protetores, resolve criar nada menos que um exército de vampiros – bem mais poderosos, apesar de mais novos – e, para permanecer oculta, coloca sua última vítima, Riley (rostinho novo: ator australiano Xavier Samuel, de 25 anos), para liderar o grupo. Os Cullen estão de longe, monitorando a situação, e temem que o clã Volturi apareça para resolver o caso. O problema é que eles certamente cobrariam a transformação de Bella, prometida no último episódio.

Agora, vamos ao que interessa… O pai de Bella não curte muito o estranho Edward, namorado da filha – isso não é novidade – e, para que ela saia do castigo imposto anteriormente, propõe que ela volte a falar com Jacob – nosso lobisomem favorito. Ela bem que tentou, mas o lobo não estava muito a fim de papo. Até que, só pra variar, ele descobre que a vida dela está em risco novamente. A coisa então começa a esquentar, pois ciente da força dos novos inimigos, Edward se vê obrigado a receber ajuda da matilha de lobos para defender Bella. Daí os dois passam a se revezar na proteção pessoal – ô maravilha!!! – da jovem indefesa. Nesse período, Jacob ainda consegue lhe roubar um beijo, mas o amor da garota pelo vampiro é mesmo maior. Bitch!

A grande batalha do filme ocorre em território dos Cullen, e conta com o elemento surpresa dos lobos. O exército de recém-criados acaba sendo massacrado e só Bree (rostinho novo, na verdade, nem tão novo assim: atriz canadense Jodelle Ferland, 14 anos), a mais nova dentre eles, sobrevive. Enquanto isso o casal protagonista, que não estava participando da batalha, é surpreendido com a chegada de Victoria. Após a luta, e de volta à cidade, se deparam com Jacob ferido. Bella, ferindo-o ainda mais, acaba de vez com as esperanças do rapaz e dá aquele fora – se ele precisar, tenho a impressão que não falta quem o console!

Nos finalmentes, Bella revela a Edward que não mudou sua decisão e ainda pretende fazer a transformação. Contudo, ela deixa o frio vampiro um pouco triste ao divagar sobre o real motivo de manter sua escolha. Na verdade não é apenas por amor a ele, mas porque ela sempre se sentiu diferente dos outros humanos mesmo. Aí vem aquele papinho de que ela só se sentia em casa ao lado dos vampiros. Ou seja, a garota quer virar vampira por si mesma.

O clima do filme é novamente um pouco “paradão”, e apesar de ser focado na disputa por Bella, não existem grandes cenas entre Edward e Jacob. Com exceção da passagem em que eles conversam enquanto Bella dorme nos braços do lobo – ô, lá em casa! –, onde foi interessante perceber que Edward já não odiava mais seu inimigo. O mesmo não pode ser dito de Jacob, que permaneceu sem demonstrar nenhuma simpatia pelo vampiro.

Enfim, nosso trio não “chegou chegando”, foi meio morno. Robert Pattinson manteve a mesma apatia dos outros filmes – deve ser coisa de vampiro mesmo –, bem como Kristen Stewart, que também não demonstra muito suas emoções usando a velha desculpa da menina diferente e anti-social. Taylor Lautner – que desde o último filme vem arrancando suspiros profundos das garotas – precisava ter se esforçado um pouco mais para passar alguma emoção que seu personagem pede, afinal, ele estava sendo trocado por seu inimigo e sua amada estava assim assinando a própria sentença de morte!

A cena da batalha ficou um pouco a desejar, sendo rápida e sem grandes confrontos. Quanto aos efeitos especiais, o detalhe que não ficou tão legal – porque, enfim, eu já me acostumei com o fato dos lobos serem grandes demais – foi o cenário de montanha onde se passam algumas cenas, incluindo a luta entre Victoria e Edward. A montagem, digamos assim, não ficou tããão realista. Bem que podiam ter levado a galera pra filmar no pico de uma montanha mesmo. Não? Ok, não sou diretora. Mas poderiam ter gasto mais em um Chroma key de respeito. Isso me faz lembrar que, no filme passado, o Rio de Janeiro foi palco de algumas cenas, e novamente foi utilizado um efeito especial safado. Será que no próximo eles vêm fazer uma visitinha à cidade maravilhosa?!

Quanto à trilha sonora, vale a pena chamar a atenção para a participação expressiva da banda britânica Muse. A autora da saga já declarou em entrevista que as músicas do trio foram fonte de inspiração para muitas cenas descritas em seus livros.

E para quem simpatizou com a personagem Bree e ficou triste quando os Volturi determinaram sua morte, foi recentemente lançado o livro “A Breve Segunda Vida de Bree Tanner: Uma História de Eclipse”, onde é narrado do ponto de vista da personagem tudo o que lhe aconteceu, numa espécie de complemento da história. Todos já sabem que Stephenie Meyer pretendia lançar o quinto livro da saga com a mesma função, mas deixou a história inacabada devido à divulgação não autorizada dos rascunhos. “Midnight Sun”, como seria chamado, recontaria a história de Crepúsculo, mas sob o ponto de vista de Edward. Estes rascunhos podem ser facilmente encontrados, e chegaram a ser divulgados inclusive no site da própria autora depois que ela decidiu adiar por tempo indeterminado seu lançamento.

A saga Crepúsculo recebe críticas e resmungos, mas também é muito aplaudida pelo público que gosta de um romance diferenciado, carregado de elementos de aventura e sobrenatural. A angústia de Bella com sua paixão “perigosa” e as mudanças em sua vida mortal ainda são metáforas competentes para mostrar as dificuldades da adolescência. Só que muita gente nem é mais adolescente e continua curtindo as histórias. Como gosto não se discute – ok, meninos? – se você acompanha a saga, corra para os cinemas e confira mais este episódio!


Carolina Vieira, é estudante de arquitetura, fanática pelo Toad do Mario Bros. e amante de filmes açucarados

6 Responses to Comentários: A Saga Crepúsculo: Eclipse

  1. bel. disse:

    super adorei a resenha!
    só vou esperar a fila dos cinemas diminuir pra assistir.🙂

  2. Carla. disse:

    Eu gostei da resenha!Me decepcionei um pouco com o filme, cortaram muita coisa(quem leu o livro sabe).Quando eu assisti, me assustei um pouco com as cenas dos recém – criados, gostei do clã culen, dos lobos mas, eu senti que estava faltando algo que tornasse Eclipse “O Filme”, eu esperava mais desse terceiro filme.Espero que os 2 últimos filmes(Amanhecer será dividido em 2), não tenha tantas partes cortadas pois, Eclipse cortaram muita coisa!Vou assistir novamente, apesar de não ter gostado de algumas partes do filme.
    Ps – O Cena do Crime ta demais, sempre que posso, acesso aqui!
    (:

  3. Lorena disse:

    Adorei a Carol ter dado um toque feminino aqui. \o/
    Peço desculpas de não poder comentar a resenha, não gosto do estilo do filme e não sei praticamente nada sobre essa saga, então registro apenas os meus parabéns pela iniciativa dela.😀

  4. Ludmila disse:

    as partes em itálico meio que traduzem meus pensamentos! huahuahuahua, muito boa, viu?

  5. Carol disse:

    Meninas, obrigado pelos comentários!!!
    Eu quase não escrevo esse negócio muito tensa com o que povo ia achar, mas o Bruno deu a maior força!!!
    O perigo agora é pegar gosto… huahuahuahu

  6. Ylanna disse:

    iuuuuuuuuu
    oi meninos, ou melhor, oi meninas, já q esse post é da Carol e do publico feminino!😛
    parabeeeens carol, tbm não sou muito chegada nessa saga, mas gostei das palavras ai, e quebra um pouco a acidez dos rapazes! hehehe
    saudades meninos! ;***

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: