Resenha: Kick Ass

Mark Millar é um cara legal. E safado também. Safado no bom sentido. O escocês, roteirista de HQ, escreve suas obras de maneira cinematográfica. Reparem em como suas últimas obras, como Nemesis, por exemplo, ou mesmo o clássico The Ultimates, tem uma narrativa dinâmica, bem aproximada de um storyboard – até mesmo a disposição dos quadros, que quebram a hegemonia dos seis quadro por folha para 4 por página, como uma tela widescreen.

Kick Ass, o filme baseado na série homônima do autor, com direção de Matthew Vaughn. Segue pelo mesmo rumo. Se Millar criou sua obra já pensando na sua adaptação no cinema isso jamais saberemos, mas se for verdade, que ele faça isso mais vezes.

O filme, que numa decisão absurda por parte das distribuidoras nacionais, não passou aqui em Fortaleza – tive que viajar para poder vê-lo – conta a história de uma garoto comum Dave (Aaron Johnson) que decide virar um superherói e ajudar as pessoas, mesmo que ele se machuque fazendo isso – um dos diálogos do filme reflete muito isso, numa citação ao famoso detetive Philip Marlowe, de Raymond Chandler. Perguntado porque ele ajuda pessoas, mesmo perdendo muito com isso, ele responde “eu sou aquele cara que socorre um vítima de estrupo enquanto você fica só olhando pela janela” – e acaba por influenciar outras pessoas a fazerem o mesmo, como Big Daddy, interpretado por Nicholas Cage (excelente!) e Hit Girl, a revelação mirim (Chloe Moretz) (maravilhosa!). Esses dois querem vingança contra o chefe do crime local, interpretado pelo sempre competente Mark Strong.

Mas o que poderia ser um filme engraçado sobre pessoas que se vestem de superheróis, conceito já visto em Watchmen, por exemplo, ganha em Kick Ass uma dimensão jamais vista misturando drama, violência tipo Kill Bill com a crueza de Martin Scorsese, You Tube, Facebook, quadrinhos, Homem-Aranha e uma das cenas mais incríveis da história do cinema.

KICK ASS É O MELHOR FILME DO ANO EM MUITO ANOS.

É um filme que faz você sair do cinema com um sorriso nos lábios e a certeza de que, aquelas pessoas que ainda caem na vala de acharem que quadrinhos são coisa de criança e ridicularizam essa mídia, merecem, na melhor das hipóteses, levar uma bicuda da saída de baixo.

Nesse nível, chutem a bunda dos distribuidores nacionais e ameaçem com uma navalha, ou mesmo uma Magnum, explodir a cara desses idiotas que estão deixando uma oportunidade de ouro de exibir um filme que será lembrado durante anos e anos porque acham que “não vai dar lucro”. Kick Ass merece uma chance nos cinemas.

Sobre Silvio César
Publicitário e estudioso dos rumos da comunicação no mundo.

5 Responses to Resenha: Kick Ass

  1. Felipe Preus disse:

    o filme é bom mesmo!
    e é uma p*** sacanagem isso que as distribuidoras fazem!

  2. Sr Figueiredo disse:

    O filme é bom…
    Mas não transmitiu a essência do Kick Ass quadrinho.
    É foda vc adaptar a violência escancarada do kick ass para a telona,…tem que ter muito peito pra isso!

  3. Mesfat disse:

    A indústria do cinema erra mais do acerta quando se dispõe a adaptar obras alheias, sobretudo quadrinhos, e isso é fato. Poucos são aqueles que têem a ousadia e preparo necessários para realizar tal proeza. Não sei quanto ao resto de vocês… eu prefiro ser SURPREENDIDO por obras desta magnitude! É muito comodo ler quadrinhos ou livros e depois “tacar o pau”. Sou fã de obras literarias como um todo, e mesmo assim fico maravilhado quando vejo realizações espantosas percorrerem essa transição sem perder a sua personalidade, a sua alma. Vi isso em Senhor dos Anéis( se o Peter Jackson tivesse colocado aquela baboseira toda seria preciso uns 15 filmes), Homem-Aranha(se o Sam Raimi tivesse deixado o Peter Parker “invetar” um super-adesivo como a teia, o amigo da vizinha seria amigo do Bill Gates), e nem vou falar do Batman (Santo Christopher Nolan!). Kick-Ass é mais que um filme de superhéroi, ele é um guia de como se deve fazer um filme deste gênero, mostra aos produtores hollywoodianos como eles são burros. Devolve para nós, fãs, a alegria, contentamento, satisfação, fé e esperança de sermos mais e mais surpreendidos, porque nós merecemos.

  4. Marcelo disse:

    Olha só,o filme é perfeito, empolga muito, assisti esse final de semana com os meus amigos,todos nós ficamos bastante maravilhados com esse kick-ass, com certeza pra mim é o melhor sobre herói que já vi, vou assisti várias vezes em 1080p.
    Não li o quadrinho e nem quero ver
    Cenas super emocionantes, que me fez chorar; uma fantástica homenagem ao mundo dos quadrinhos, outra cena com a trilha sonora do filme Extermínio. E´ só conferir.

  5. Krash disse:

    Esse filme é mesmo fodíssimo… Já tinha assistido e tava sem tempo de postar uma resenha, valeu silvio! =)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: