Atenção Todas as Unidades! #4: O Menino do Pijama Listrado

Hoje é dia de Atenção Todas as Unidades! Depois da ausência da semana passada – correria, você entende -, voltamos com a seção de dicas e recomendações rápidas do CdC!

E hoje vamos falar sobre um livro, seus incultos! Maaas desta vez a dica não é minha. Quem escreve novamente é nossa Correspondente de Guerra, que já havia comentado sobre… Ok… o filme Eclipse. Acho que pra se redimir ela tentou recomendar algo diferente.

Cá estou eu de volta – aplausos?! -, agora pra dar a minha dica no Atenção Todas as Unidades!

Você já deve ter ouvido falar deste livro, principalmente porque ganhou uma adaptação cinematográfica há dois anos. Me falaram tanto sobre ele que comprei mesmo sem ter ido atrás de saber exatamente do que se tratava – sim, eu faço esse tipo de coisa -, e não me arrependi.

O Menino do Pijama Listrado (2006)

Autor: John Boyne

Tradução: Augusto Pacheco Calil

Editora Cia das Letras

O livro conta as percepções de Bruno, um garoto de 9 anos que mora com a família em uma confortável casa em Berlim, e que começa a ter uma breve noção de eventos e personalidades durante a 2ª Guerra Mundial.

Bruno, sua mãe e irmã vêem-se obrigados a deixar o lar, os familiares e amigos a fim de acompanhar o pai, um homem bastante sério que tem um trabalho muito, muito importante. Partindo para uma nova casa, Bruno descobre que a mudança se dá por uma promoção no cargo do pai, e agora eles terão que conviver com a estranha rotina militar de um país em guerra – fato que Bruno ignorava até pouco tempo.

O garoto descobre-se sozinho e começa a prestar atenção em pessoas e coisas que sempre estiveram ao seu redor, mas que ele nunca conseguiu enxergar. É de fato um drama, mas focado no lirismo e na inocência de seu protagonista. Bruno é mantido alheio à maioria das situações, e vai lentamente com sua persistência infantil tentando montar um quebra-cabeça com as poucas peças que lhe são dadas. Quando a realidade não faz sentido, ele deduz e inventa fatos que possam explicar o que seus olhos não compreendem. É o caso da curiosidade que tem pelo menino que sempre veste pijama listrado, que ele encontra durante uma “exploração” do terreno.

Para quem já ouviu falar do livro e sabe bem do contexto histórico, adianto logo que a abordagem que Boyne dá ao tema é bem diferente da que estamos acostumados – em livros ou filmes. Ele não se preocupa, em momento algum, em nos situar firmemente no tempo e no espaço, não está preocupado em nos acrescentar nada no que diz respeito à história. O que ele quer é mostrar como o garoto interpreta os acontecimentos e começa a lidar com isso.

O modo de contar a história é bastante marcante, já que ela é realmente nos passada na forma de pensar de uma criança. O autor abusa do recurso das repetições constantes no texto, o que mascara um pouco a intenção de John Boyne. Afinal, ele queria apenas mostrar o discurso infantil ou não nos deixar esquecer informações que ele considerava relevantes?! Bom, de qualquer maneira vocês irão concordar comigo: chega um ponto em que tanta repetição irrita, não interessa o objetivo! O que nos salva é que no decorrer da narrativa, isso é bastante amenizado. Então, não desista de cara!

O livro, que segundo o próprio autor foi escrito em 2 dias, além de não ser muito detalhista, apresenta uma narrativa bem curta, que se desenvolve em poucas páginas – um leitor mais hardcore consegue devorá-lo em algumas horas. Mas acho que, mesmo assim, consegue ser envolvente. A partir da mudança para a casa nova – se você for como eu –, somos levados a imaginar como a história tende a se desenrolar apenas analisando alguns acontecimentos pequenos, outros nem tanto. A história é bastante contada nas entrelinhas, o que faz você prestar atenção mesmo nos erros que uma criança de 9 anos comete ao explicar uma situação ou se referir a uma pessoa.  E a conclusão é toda conduzida por uma linha bastante tensa, que quebra de uma vez o clima de lirismo da trama. Senti falta de um pouco mais de ambientação nesse finalzinho, que parece te jogar em direção a alguns acontecimentos inevitáveis e se apressa demais em tentar te levar às lágrimas.

Mas leiam! Comprem, peçam emprestado, aluguem na biblioteca, mas não deixem de conferir essa história tocante.

John Boyne alcançou uma certa projeção com O Menino do Pijama Listrado, e chegou a ganhar o Irish Book Awards com ele. Como eu mencionei, em 2008 a Miramax Films adaptou o livro para os cinemas. Ainda não vi, mas confesso que não estou aguentando de curiosidade pra ver se valeu à pena. Aliás, estou indo ver agora, sigam-me os bons!


Carolina Vieira, é estudante de arquitetura, incapaz de fazer uma curva no Mario Kart e nunca consegue chorar com finais tristes.

One Response to Atenção Todas as Unidades! #4: O Menino do Pijama Listrado

  1. Lorena disse:

    Eu não li sobre o Eclipse, mas dessa vez eu li tudinho, viu, Carol? kkkk
    Já me recomendaram esse livro e me falaram que o filme é bom. Parece interessante, apesar de eu não ter muita paciência para ler/assistir drama. Quem sabe um dia eu leia/assista, já que não te segui com os bons.😛

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: